Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2011

Vida

VIDA
Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis esquecer pessoas inesquecíveis.
Já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com pessoas que eu nunca pensei que iriam me decepcionar, mas também já decepcionei alguém.
Já abracei pra proteger, já dei risada quando não podia, fiz amigos eternos, e amigos que eu nunca mais vi.
Amei e fui amado, mas também já fui rejeitado, fui amado e não amei.
Já gritei e pulei de tanta felicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas, e quebrei a cara muitas vezes!
Já chorei ouvindo música e vendo fotos.
Já liguei só para escutar uma voz, me apaixonei por um sorriso, já pensei que fosse morrer de tanta saudade tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).
Mas vivi! E ainda vivo!
Não passo pela vida. E você também não deveria passar! 


VIVA!!


Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida com paixão, perder com classe vencer com ousadia... Porque o mundo pertence a quem se atreve a vida é muito para ser insignifi…
Rifa-se um coração
Rifa-se um coração quase novo.
Um coração idealista.
Um coração como poucos.
Um coração à moda antiga.
Um coração moleque que insiste em pregar peças no seu usuário.
Rifa-se um coração que na realidade está um pouco usado, meio calejado, muito machucado e que teima em alimentar sonhos e, cultivar ilusões.
Um pouco inconsequente, que nunca desiste de acreditar nas pessoas.
Um leviano e precipitado coração que acha que Tim Maia estava certo quando escreveu: "...não quero dinheiro, eu quero amor sincero, é isso que eu espero...".
Um idealista... Um verdadeiro sonhador...
Rifa-se um coração que nunca aprende.
Que não endurece, e mantém sempre viva a esperança de ser feliz, sendo simples e natural.
Um coração insensato que comanda o racional sendo louco o suficiente para se apaixonar.
Um furioso suicida que vive procurando relações e emoções verdadeiras.
Rifa-se um coração que insiste em cometer sempre os mesmos erros.
Esse coração que erra, briga, se expõe.
P…

Segura a minha mão...

E as vezes a vontade que sinto, cá dentro de mim, é de jogar a toalha.
Já não sei mais o que fazer pra que enxergue, apenas enxergue que estou aqui, disposta ao que for preciso pra te fazer o mais feliz de todos os homens. Não quero, nem acho necessário chegar ao absurdo pra te provar que estou aqui porque te quero meu sim, mas te quero porque te amo e quem ama quer estar do lado, quem ama quer poder ser INTEIRA pro seu amor.
Já tentou, por um segundo que seja se colocar em meu lugar? Infelizmente devo desapontá-lo ao dizer que, mesmo que já tenha tentado, jamais conseguirá saber como realmente me sinto. Mas, mesmo diante das tantas barreiras, vergonhas, medos, inseguranças, indecisões... Me mantenho aqui, do seu lado, sendo aquela mulher com quem você pode contar pro que der e vier. Aquela mulher que não tem medo de arriscar pelo incerto porque acredita realmente no amor.
Nem sei porque tô escrevendo nada disso aqui. Talvez o meu limite em guardar aqui dentro um amor e suas angustias…

Inspirado no cheiro da sua mão...

Se a gente juntar com a pá migalhas e farelos, o pó e os cacos que sobraram de nós dois, acho que faz um inteiro. Será que não? E aí? Que tal? Vamos? Como soa dividir comigo essa existência idiotamente ridícula, morna, real, estúpida, bagaceira e imbecil? Vamos fazer diferente, como ninguém mais sabe fazer, só nós? Diz que vamos, vai.

Não? É tudo que preciso pra começar a te conquistar. Diz que não com os olhos cheios de esperança. Com duzentos "nãos" eu construo um castelo, uma roda gigante, uma cabaninha de lençol na sala, um altar, um amor, um sim bem grande. Com um sim entre você e eu, te roubo inteira e metade da felicidade do mundo. Diga que não, ponha uma meta no meu colo, tipo num processo de seleção feminina só pra eu provar que sou o cara.

Isso, faz assim. Se faz de labirinto quando eu me oferecer em linha reta. Diz que metade de mim, a parte amigo, tá bom, só pra me empurrar inteiro coração adentro, goela abaixo, com toda a calma do mundo. Isso, faz assim. Dá voltas…