Pular para o conteúdo principal

Eu e o mar...

Em mais uma tentativa de fuga, me retirei do círculo que cerca o nosso mundo e de malas prontas segui viagem.
Inútil...
Não adiantou tentar fugir, onde eu ia você ia comigo. Eu forçava a mente a se distrair com o que me era oferecido e não adiantava, tudo me lembrava você, nós dois.
Enquanto a multidão se divertia entre bebida, resenhas, gargalhadas...Aquela sensação de solidão em meio a um monte de gente me tomou. Era a saudade apertando o peito, a falta que a tua falta me fazia.
Corri pro mar, sentei-me de frente pra ele e, ao contemplar o sol que, naquele momento se punha, me entreguei as minhas lembranças, aos meus fantasmas, as minhas inseguranças, ao medo, a solidão.
Olhando o mar eu me questionava em vão, eram perguntas que eu não sabia as respostas, ou, lá no fundo, preferia não saber. As lágrimas iam caindo devagar, sem que eu conseguisse ou pudesse contê-las. O peito ia apertando ainda mais, a cabeça e o coração haviam entrado em atrito novamente e a confusão estava formada. Eu me sentia perdida.
Sabe quando você sente a tua balança brigando pra ver quem pesa mais, a tristeza ou a felicidade? Ou quando você almeja muito uma coisa, e quando ela parece estar pra acontecer, você tem medo, se sente insegura, sem saber como vai ser daqui pra frente? Ou quando você questiona algo o tempo inteiro, rezando pra que a resposta jamais venha por temer que esta seja contra o que deseja? É mais ou menos o que ta acontecendo comigo.
Agora, eu queria colo, o teu colo, mar. Queria aquele lugar só pra mim, que toda e cada uma daquelas pessoas que nos cercavam evaporassem em segundos e fossemos só eu, o sol que não demoraria a ir também e você, mar. Queria essa calma que só você e aqueles braços conseguem me trasmitir. Queria poder chorar, misturar as minhas lágrimas as tuas águas,  sem receio de ninguém ver e me perguntar o que estava acontecendo. Queria que o único ruído a ouvir, fossem das tuas ondas se desdobrando em minha frente, como crianças que dão cambalhotas querendo diversão, mesmo eu não estando pra brincadeira. Queria que esse momento se estendesse até eu me sentir recarregada para enfrentar o mundo. Mas não dá né? A realidade é outra.
E agora mar, o que é que eu faço? Como faço pra me desapegar das minhas inseguranças, meus fantasmas, meus medos? Como faço pra me desapegar dessa mania de acreditar nas pessoas mesmo diante de evidências que me provam o contrário? Como faço pra aprender a viver sem aquilo que já faz parte de mim? Como faço pra me convencer que preciso dar mais ouvido a razão e menos ao coração?

Você não sabe, né mar??? Imaginei que não. Ninguém sabe. E assim continuo, cheia de perguntas e nenhuma resposta....

Dila Mota

http://www.youtube.com/watch?v=_7Fb-TJQNcM&feature=player_embedded
(Huu - Hey Soul Sister)


Comentários

  1. Me identifico em cada letra, em cada apelo ao coração... meu coração é doido de pedra, as vezes ele diz VAI, as vezes ele diz VOLTA. Mas ele nunca diz ESQUECE.
    E eu odeio ele por isso...


    Mas te amo!
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Éé... acho que nossos corações tem muito em comum amiga!!! Doidos de pedra! Loucos e desvairados, por tanto amar, por tanto querer, querer ser amado!

    Odeia ele não... cedo ou tarde ele aprende, e quando isso acontecer, você vai estar com uma pessoa incrível e vai agradecê-lo por ter sido tão doido, por ter te feito sofrer tanto antes de encontrar a felicidade! Você vai poder vivê-la com maturidade!

    Te amo sua linda!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ta doendo... Mas vai passar!

É engraçado como me permito ser magoada. Chega a ser patético me olhar no espelho e me dar conta do quanto tenho cuidado mal de mim.
Essa minha mania de ser compreensiva, paciente, boba, só tem me ajudado a aumentar a minha coleção de mágoas e lenços molhados de lágrimas. E não me refiro apenas a você, que tem sido o maior responsável por elas, me refiro ao que me cerca, ao que me beija o rosto e como Judas, me trai.

...

Ta doendo, ardendo em fogo aqui dentro. É como a carne viva, exposta, propícia a ser tocada e voltar a doer e sangrar novamente. Ta doendo e eu não sei o que fazer. Me sinto perdida entre sentimentos e vontades. Vejo a minha vida como as letras do teclado, embaçadas em meio as lágrimas que não sabem se caem ou são engolidas pelo meu orgulho.
Eu já não sei qual das mulheres preciso ser ou voltar a ser pra que eu te convença a se entregar ou me deixar ir. Eu já nem sei mais se quero te convencer de nada. Eu só preciso desesperadamente que de alguma maneira o alivio cai…

May... Amiga, irmã, cumplice, companheira, especial!

Tem irmãos que a vida nos dá, tem irmão que a gente escolhe. Eu escolhi você! Na nossa amizade, tudo é tão diferente. Até os momentos mais tensos acabam numa resenha sem tamanho.  É incrível como nos damos bem, como nos entendemos somente em nos olhar.  Com você conheci uma amizade diferente de tudo que já tinha vivido, é uma amizade livre, que não cobra, que não julga, que não questiona... apenas existe, se faz sentir e me faz bem. Adoro as nossas reuniões pra falar das novidades, dos nossos casos e acasos, dos conselhos, do riso sem motivo, do carinho tão sincero, da preocupação, as armações pras nossas loucuras mais secretas, das gargalhadas, das nossas viagens cheias de histórias pra contar (viagens que por sinal, andam fazendo falta). Adoroo tudo em você! Brigada por existir e mais ainda, por fazer parte da minha vida. Que a nossa amizade seja eterna enquanto dure, e que dure para sempre.
Ta ai a mensagem que você me mandou e que eu prometi postar aqui em sua homenagem... não sei porque…

Acorda Menina!!

Acorda menina...

Levanta desse leito que você transformou sua vida, abre as janelas dessa escuridão e se permita a luz. Abre os teus olhos pra vida, ela tem te dado sinais claros de que ai dentro desse mundinho teu, as coisas que te aguardam lá fora não vão acontecer. Você merece mais que frestas de luz, você merece mais que o aquecimento desse cobertor que você utiliza pra encobrir tuas fraquezas, você merece mais que as tentativas de abrir os olhos querendo acordar e por preguiça de lutar por aquilo que merece, voltar a dormir.
A tua covardia em acreditar que no teu mundo de sonhos TUDO pode acontecer e que estas coisas acontecem do jeito que você quiser é pura ilusão. Sonhar é delicioso, mas a realidade dos fatos pode ser ainda mais interessante. Sonhar é magico, mas a magia real é transformar nossos sonhos em verdades pro mundo, não apenas pra nós.

Acorda menina!

Sabe aquele lugar lindo, com raios de sol, com flores, com o som dos pássaros, com a companhia perfeita e uma felicidade…